quarta-feira, 30 de junho de 2010

"Well I ask you very confidentially:"

"- E daí em diante ele e toda a família dele foram felizes. - Pausa - as árvores mexeram no quintal, era um dia de verão. - Escrevam em resumo essa história para a próxima aula.
Ainda mergulhadas no conto as crianças moviam-se lentamente, os olhos leves, as bocas satisfeitas.
- O que é que se consegue quando se fica feliz? sua voz era uma seta clara e fina. A professora olhou para Joana.
- Repita a pergunta...?
Silêncio. A professora sorriu arrumando os livros.
- Pergunte de novo, Joana, eu é que não ouvi.
- Queria saber: depois que se é feliz o que acontece? O que vem depois? - repetiu a menina com obstinação.
A mulher encarava-a surpresa.
- Que idéia! Acho que não sei o que você quer dizer, que idéia! Faça a mesma pergunta com outras palavras...
- Ser feliz é para se conseguir o quê?"

(Do livro "Perto do Coração Selvagem, de Clarice Lispector)

terça-feira, 29 de junho de 2010

a sentença

preciso me embriagar de desapego!
Sim, não seria a primeira vez e possivelmente nem a mais intensa. Mas eu preciso voltar a esse estado, preciso me deixar levar novamente pelas expectativas da noite.
E quer saber: não vejo a hora!

"e tudo isso pra terminar do mesmo jeito de sempre"
então era apenas mais um babaca? que pena.

domingo, 27 de junho de 2010