quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

balanço geral

2010.

1 milhão de sorrisos
7 choros
umas 80 bebedeiras -3 delas por causa dos choros-
80 ressacas
30 novas amizades
2 ou 3 decepções
21 peças de roupa
6 livros
5 amigdalites
2 tatuagens
1 piercing
19 anos
incontáveis beijos
incontáveis loucuras
sexo? bem mais contável.
55 novos números na agenda do celular
0 namorados
uns 60 desaforos lançados no twitter
196 followers
9 professores
muito jornalismo
mais de 1000 fotos
1 carteira de motorista
17 pizzas
0kg a mais (e 0 a menos)
3 couchsurfers na minha casa
2 idas ao Rio
1 a Búzios
1 a São Paulo (pra nunca mais voltar)
38378764 litros de saudade
2 cicatrizes (uma na gengiva e outra no coração)
cada vez menos conceitos e rótulos
4 indecisões
0 arrependimentos
várias tentativas de desapego -nenhuma bem sucedida-

e pelo menos 359 dias de pura alegria.
Que venha 2011!

sábado, 25 de dezembro de 2010

o falecido

"sim, ele ainda existe"
Dói pensar isso. Dói imaginar que mesmo depois de 2 anos, ele ainda não morreu. Foi afogado, apagado, enterrado, excluído, dominado, esquecido, mas ainda sobrevive.
Sua marca foi tão forte que ainda aparece nos meus sonhos, me persegue, me entristece, me envolve. A imagem já um pouco desaparecida, revive no meu sono mais profundo, talvez onde estejam meus desejos mais intensos e secretos.
O que não foi resolvido me assombra. Me faz curiosa. Como seria? Talvez nunca saberei. Talvez saberei em pouco tempo. Talvez tudo aparecerá novamente de uma maneira repentina.
Mas prefiro me esconder. Me reservar o direito de me manter distante. E essa distância real me conforta. Porém, também questiono-me. Se mesmo de tão longe, tem esse efeito em mim, o que será quando nos encontrarmos?
Não. Não quero encontrar. Sinto que nunca estarei preparada. Seu rosto desaparece em mim.
Alguns sinais me apontam respostas, porém a incerteza ainda prevalece.
Enquanto isso, sigo. Não sei se bem ou mal, feliz ou triste, cicatrizada ou ferida. O importante é seguir.

A dúvida mais cruel de todas é: será que EU ainda existo? responda você.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

eterna procura

"O texto gera fatalmente um outro texto interiorizado nele mesmo. Podíamos dizer que dentro do livro há um outro livro em expectativa, cabendo ao autor uni-los afinal em um só volume, e merecendo tantas leituras quanto aquelas destinadas a vários livros de diferentes autores."
-Nélida Piñon

Seguindo o pensamento de Nélida, podemos dizer que:
Uma pessoa gera fatalmente outras dentro de si mesma. Podíamos dizer que dentro de alguém há um outro alguém em expectativa, cabendo ao próprio ser uni-los em um só alguém, pois este merece tanta importância quanto o ser em sua obviedade.

A missão pra 2011 de todo mundo deveria ser encontrar esse(s) outro(s) alguém(ns) em expectativa dentro de si.
Talvez assim paremos de procurar o outro alguém do lado de fora.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

pego e apego

"You can´t feel anything, you will lost the best in life! I hope you fall in love so that you can actually feel something."

"PRATIQUE O DESAPEGO"
"sim, eu tento."
"TENTA DE VERDADE"


Quer dizer ..

não ame
não se apaixone
não sinta
não se relacione
não goste
não se iluda
não tente
não deixe
não pense
não espere
não se aproxime
não busque
não se importe


não viva.

Qual o propósito disso?

Ainda prefiro sofrer todas as consequências do apego a deixar de viver as coisas boas da vida.

domingo, 7 de novembro de 2010

intitulável


As palavras foram claras. Mas isso não significa que irei desistir. Sim, eu sei que já acabei mal por essa vontade de tentar até o fim. Mas é inevitável.
Daquele, nem sinto mais saudades. Não é que eu não pense mais nele ou não o queira mais, apenas quero distância.
Vocês entendem?

"Quando a vejo com alguém, as vezes dói. Às vezes não sinto nada. Não é uma saudade ou amor, mas eu não sei bem o que é."

"Não a quero mais. Mas definitivamente ela foi a mais especial da minha vida. Não sei como vai ser reencontrá-la."

"O que passamos foi ótimo mas agora realmente acabou. Tenho que ser forte pra aguentar conviver com isso. Como é difícil."

"Eu não consigo parar no momento certo, mesmo sabendo que vai dar errado. Preciso ir até o fim, ver com meus próprios olhos o que vai acontecer."

"Como ficante, sou um lixo. Sou muito melhor como amigo."

"Quero ser igual a ele - chegar a velhice só na farra. Gostar de alguém atrapalha tudo!"

"Nunca o vi sem uma namorada. E agora, aos 21, já casou."

"Te amo pra sempre, amor da minha vida!"

"Eu juro que queria muito conseguir sentir por uma mulher só esse sentimento de que ela é a única no meu coração. Eu amo todas vocês."

"Preferia que ela tivesse me traído. Pelo menos conseguiria ter raiva dela."


Quem um dia conseguir explicar todas as implicações do amor deveria ganhar um prêmio Nobel.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

herança dos astros

Não sei se vocês sabem, mas eu sou de sagitário.
O animal mitológico do meu signo é um centauro.
Meio homem, meio cavalo.



Meio feliz, meio depressiva
Meio segura, meio indecisa
Meio eufórica, meio indiferente
Meio extrovertida, meio medrosa
Meio otimista, meio derrotada
Meio amorosa, meio esnobe
Meio adaptável, meio rancorosa
Meio livre, meio insatisfeita
Meio bonita, meio insegura
Meio inteligente, meio inferior
Meio liberal, meio triste
Meio questionadora, meio conformada



E completamente contraditória.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

montanha russa

Antes de subir, bate aquele medo. O coração acelera muito e você pensa: será que devo? Mas o impulso e a vontade pela adrenalina são tão grandes que você prefere arriscar, por que não?
Eis que você entra, ainda um pouco assustada com a possibilidade de alguma coisa dar errado e você acabar no fundo do poço. Sim, por que você já brincou em uma montanha russa que acabou dessa forma. Mas como nenhuma é igual a outra, seus instintos mandam você seguir em frente.
A primeira subida é a mais demorada: a parte mais excitante, pois sua adrenalina está a mil e você se sente super feliz por ter enfrentado tanto medo. Agora está ali, corajosa, dando o máximo de si, guiando todas suas forças pra que dê certo e para que seu medo fique pra trás ..você pensa: quero ficar aqui em cima pra sempre! Afinal, tinha esquecido de como era bom aquele sentimento ..
Os que ficaram lá embaixo vão sumindo de vista e você até para de pensar neles completamente. Aquela subida está muito melhor e mais interessante.

Mas, COMO SEMPRE, chega a hora da descida.
Ela vai de uma vez só, na maior velocidade possível, tirando toda a sensação de equilíbrio anterior. É tão bruta que você nem consegue pensar direito: apenas vive aquele momento. Não é justo. Estava tudo tão bem, por que essa queda repentina?
E quando você percebe já está lá embaixo novamente...
Mais um tempo e outra subida. Essa já não é mais tão excitante, pois você já conhece todos os detalhes. Ela geralmente é mais rápida. Até que vem uma pontinha de felicidade, mas o fato é que aquela descida mexeu muito com você. Logo na frente tem um looping. Nessa hora você simplesmente fecha os olhos e deixa acontecer o que tiver que acontecer. Não foi exatamente ruim, mas também não foi bom.
E lá vem outra descida! Essa também nem te pegou de surpresa. Mas isso não significa que não foi intensa, ou que não te trouxe desconforto. Agora você está duplamente desconfortável.

A novidade é que agora não há mais subidas. E talvez você nem queira mais subir. Já chega de montanha russa, pois, afinal, nem mais criança você é.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

a arte do autoconvencimento

Autoconvencimento. Um perigo. Uma solução.
Eu me autoconvenço dos seus sentimentos e isso me traz uma segurança por saber que não fui simplesmente esquecida.
Não, ninguém nunca me disse isso, nem você, e eu não tenho provas. Mas é isso, sim, tenho certeza. E enquanto isso me fizer bem, terei certeza.


Porque é melhor me autoconvencer do que me autodestruir.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

conversa

Vem aqui, só quero conversar. Senta aqui perto, vai.
Não se assuste, só preciso dizer que eu estou bem. Sim, estou bem, me sinto ótima e não há nada melhor do que minhas amizades. Tá tudo correndo como deveria ser, tô me empenhando nas coisas, me esforçando pra dar certo. E vou te dizer, estou me saindo muito melhor do que imaginava.
Presta atenção: não fica tentando me fazer sofrer, me iludir. Eu já entendi tudo. Já sei como você é, você não me engana mais, não! Não leve a mal, só estamos batendo um papo.
Sim, foi maravilhoso e eu reviveria vários momentos. Mas acabou né? A-C-A-B-O-U. Eu sei disso, acabou e pronto. Tô bem, já disse!
Podemos ficar nesse joguinho quanto tempo você quiser, não me importo mais. Tá ouvindo? Não me importo! Já passei por tudo isso e te digo: tô viva. Mais viva do que nunca. Descobri que adoro viver, adoro as pessoas e adoro a minha vida. Adoro esse mundo, mesmo sem vocês nele. Superei tudo e cresci, entendi melhor o que aconteceu. Queria tanto que algumas coisas tivessem sido diferentes e que hoje estivesse tudo bem melhor entre a gente. Mesmo assim, estou tão feliz e é isso o que importa. Não poderia desejar estar de outra forma.
Sim, agora você já pode ir. Vai, mas não vai muito longe, tá? Pode ir, não irei ficar triste. Só não esquece as coisas que eu te disse. E não esquece que eu ainda gosto de você.




Vem, senta aqui, vamos conversar.

Só preciso dizer que sinto saudades.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010


todos os sentimentos misturados.




e ao mesmo tempo, nenhum.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

cicatrizes

acabou.

no primeiro dia, a dor é insuportável. a pior sensação de todas, a agonia, toma conta de voce. a impressão é de que aquele dia não terminará nunca e nem todos aqueles remédios resolverão o problema. não importa quem está com voce, o ombro mais amigo, mais fiel, dói muito. tudo é um desastre. até a morte é certa!

com o tempo, a dor ainda é grande demais para qualquer possibilidade de um sorriso. mas a ferida começa a cicatrizar. bem devagar, bem lentamente, o sangramento vai desaparecendo e você já consegue perceber melhor o que aconteceu, já está ficando mais confortável e consciente. tudo ainda é feito com muito cuidado, voce ainda necessita de ajuda. mas nesse período conversas já distraem, pessoas começam a ter graça novamente.

mais tempo. "não é que o tempo resolve mesmo?" sim, voce já está quase toda cicatrizada. os pontos já estão bem secos e toda aquela dor, aquela que parecia inesgotável e eterna, parece estar acabando. no lugar da dor, um pouco de tristeza, raiva e indiferença. e olha que felicidade: parece que falta pouco para tudo voltar ao normal.

sim, passou. tudo cicatrizado, os pontos retirados. no lugar deles, lembranças de dias ruins. lembranças que vão ficando cada vez mais pra trás e dando lugar a um recomeço maravilhoso. agora tudo pode acontecer de novo, com mais calma, menos sofrimento. voce está pronta para voltar a vida, sem aquela dor. seus amigos, suas tarefas, tudo importa novamente e aquele repouso emocional-obrigatório finalmente acaba. vida nova!

então voce percebe que sim, mesmo nas mais complexas operações, existem cicatrizes que ficam invisíveis e que somem completamente, não é incrível?

mas é claro que não é o caso ...

domingo, 15 de agosto de 2010

os meus choros mais sofridos são os de raiva. é minha única forma de expressar esse sentimento tão forte, que me traz tanta impotência.

-------
a pior coisa na vida? acumular relacionamentos mal resolvidos

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

"true love´s kiss"

e por alguns instantes a gente realmente acredita que nosso verdadeiro amor está por aí, irá nos encontrar e seu beijo resolverá tudo.


mas aí passa.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

autocrítica

"Não sou profundo. Espero que me desculpem."
Faço das palavras de Érico Veríssimo as minhas.
Sou profunda nos sentimentos, sinto com intensidade e muita profundidade.
Mas gosto das palavras simples, das mais singelas expressões. Tudo que seja de claro, claríssimo entendimento.

E declaro aqui que sim, me sinto inferior por sentir melhor do que escrever.

Queria que fosse o contrário.

Assim sofreria menos e escreveria melhor.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

sobre amor e literatura



Estou lendo um livro que traz todas as entrevistas que a Clarice Lispector fez quando trabalhava como jornalista, a partir de 1940. Ele é dividido em 5 grupos de entrevistas: com pessoas ligadas à área da literatura, da música, das artes cênicas, das artes plásticas e do esporte e ao todo são 42 entrevistas. Ela entrevistou grandes nomes como Lygia Fagundes Telles, Jorge Amado, Érico Veríssimo, Ferreira Gullar, Chico Buarque, Tom Jobim, Elis Regina, Paulo Autran, Jardel Filho, Oscar Niemeyer, Djanira, Zagallo, João Saldanha e por aí vai ...
É impressionante como são as entrevistas, pois são muito diferentes dessas que vemos hoje. São mais como diálogos, bem descontraídos, com várias perguntas subjetivas e inclusive perguntas do próprio entrevistado a Clarice. Enfim, estou simplesmente amando o livro, as entrevistas são geniais!!
Mas o que me chamou atenção foi que Clarice em cada entrevista sempre fazia essas 3 perguntas:
-Qual a coisa mais importante do mundo?
-Qual a coisa mais importante para uma pessoa como indivíduo?
-O que é o amor?
Ela, com seu jeito delicado e em sua eterna busca por um "ser" e pelo entendimento do mundo e das pessoas, perguntava isso com toda a naturalidade e a curiosidade que alguém pode ter.
Na entrevista com Nelson Rodrigues(um dos meus escritores favoritos, depois da Clarice), ele deu uma resposta para essa terceira pergunta que me deixou realmente impressionada, pois nunca pensei que logo ele, o anjo erótico, daria uma resposta desse tipo e eu, particularmente, discordo dessa definição de amor. Ele disse o seguinte:
"Eu sou um romântico num sentido quase caricatural. Acho que todo amor é eterno e, se acaba, não era amor. Para mim, o amor continua além da vida e além da morte. Digo isso e sinto que se insinua nas minhas palavras um ridículo irresistível, mas vivo a confessar que o ridículo é uma das minhas dimensões mais válidas." E depois continua:
"..O sexo sem amor é uma cristalina indignidade. Sempre que o homem ou a mulher deseja sem amor se torna abjeto. Uma mulher não tem o direito de se despir sem amor. Mesmo o biquíni, mesmo o decote, e repito, nenhuma forma de impudor é lícita se a criatura não ama. Se a criatura não ama, não pode usar biquíni, ousar certos decotes ou qualquer outra forma de impudor."
Sim, inacreditável que Nelson Rodrigues pense dessa forma! Achei bem engraçado, até..
Mas enfim, estou aqui para dizer que não vejo o amor dessa forma, não encaro como sendo eterno e nem por uma só pessoa. Concordo mais com a definição e com o pensamento de Vinícius de Moraes. Ele disse:
"..Que eu amo o amor é verdade. Mas por esse amor eu compreendo a soma de todos os amores, ou seja, o amor de homem para mulher, de mulher para homem, o amor de mulher por mulher, o amor de homem para homem e o amor de ser humano pela comunidade de seus semelhantes." "...o amor que constrói para a eternidade é o amor paixão, o mais precário, o mais perigoso, certamente o mais doloroso. Esse amor é o único que tem a dimensão do infinito....esse amor paixão pela sua própria intensidade não tem condições de sobreviver." Em uma outra pergunta sobre o que mais desejaria alcançar, ele disse: "..desejaria alcançar uma tal capacidade de amar que me pudesse fazer útil aos meus semelhantes."
Completando minha visão, Jorge Amado respondeu:
"É a própria vida, é o melhor da vida, tudo..."
Eu vejo o amor como o melhor sentimento do mundo. E pra mim tudo que fazemos necessita de amor. Eu não entendo o amor só como o sentimento amoroso entre pessoas, mas tudo! Em tudo o que eu faço, em tudo que eu falo, o ato da comunicação, tudo envolve amor. Nesse exato momento eu estou amando.
Todo tipo de relação envolve amor: relação amorosa, amizade, entre conhecidos, familiar, com a natureza, com a sociedade, consigo mesmo, com seus pertences, com suas vontades, sonhos e ambições. Tudo, tudo é amor!
É impossível dizer que não se ama, pois viver já é amar.
Talvez eu esteja sendo muito romântica, mas eu realmente acredito nisso.
E é por isso que eu vou finalizar essa publicação com uma das frases mais conhecidas e mais verdadeiras do mundo(e que eu futuramente pretendo tatuar no meu corpo):
"All you need is love." - John Lennon

sábado, 31 de julho de 2010

férias

alegria
gente bonita
gente folgada
gente de paz
gente perigosa
medo
felicidade
descontração
gentileza
azul, verde
praia
praia
barulho do mar
cheiro do mar
princesinha do mar
orgulho
tranquilidade
transito ruim
abandono
favela
amor
muito amor
festa
festa
agua de coco
paquera
bermuda e havaianas
bonita por natureza
por do sol
paixão
tradição
bossa nova
samba
história
celebridades
cidade maravilhosa

------------------------------------

alegria
gente apressada
gente preocupada
gente responsável
gente perigosa
medo
felicidade
correria
pouca gentileza
cinza, cinza
prédios
beleza vertical
dor de cabeça
cheiro de fumaça
barulho de carro
transito pessimo
organização
favela
admiração
muita admiração
festa
festa
coca cola
timidez
terno e gravata
beleza construída
por do sol?
paixão enrustida
tradição
história
economia
motor do Brasil

quarta-feira, 7 de julho de 2010

"Was she told when she was young that pain would lead to pleasure?"


Todas aquelas sensações esquisitas, aquele vazio temporário, aquela agonia, nada.
A vacina que me imunizou foi poderosa e ainda está na validade. Aquela que me fez passar tão mal, me deixou dias e dias sofrendo de dor, com febre, com mal estar, sim, essa que eu desejei nunca mais tomar. Ela finalmente fez com que meu organismo, tão frágil, permanecesse na imunidade e não tivesse mais problemas com aquela doença.
É como se eu não sentisse nada. As frustrações de estar doente se tornaram indiferenças. Nada mais existe aqui.
Talvez agora seja a hora de me expôr novamente. Afinal, se eu estou imunizada, que mal pode causar?
Mas penso se a vacina tem validade eterna. Ou se vale apenas até uma doença mais forte, bem mais intensa, se manifestar. Nesse caso, não sei se serei capaz de resistir.

Enquanto isso, estou muito bem.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

"Well I ask you very confidentially:"

"- E daí em diante ele e toda a família dele foram felizes. - Pausa - as árvores mexeram no quintal, era um dia de verão. - Escrevam em resumo essa história para a próxima aula.
Ainda mergulhadas no conto as crianças moviam-se lentamente, os olhos leves, as bocas satisfeitas.
- O que é que se consegue quando se fica feliz? sua voz era uma seta clara e fina. A professora olhou para Joana.
- Repita a pergunta...?
Silêncio. A professora sorriu arrumando os livros.
- Pergunte de novo, Joana, eu é que não ouvi.
- Queria saber: depois que se é feliz o que acontece? O que vem depois? - repetiu a menina com obstinação.
A mulher encarava-a surpresa.
- Que idéia! Acho que não sei o que você quer dizer, que idéia! Faça a mesma pergunta com outras palavras...
- Ser feliz é para se conseguir o quê?"

(Do livro "Perto do Coração Selvagem, de Clarice Lispector)

terça-feira, 29 de junho de 2010

a sentença

preciso me embriagar de desapego!
Sim, não seria a primeira vez e possivelmente nem a mais intensa. Mas eu preciso voltar a esse estado, preciso me deixar levar novamente pelas expectativas da noite.
E quer saber: não vejo a hora!

"e tudo isso pra terminar do mesmo jeito de sempre"
então era apenas mais um babaca? que pena.

domingo, 27 de junho de 2010

sábado, 29 de maio de 2010

o primeiro passo

Olá. Eu nunca tive um blog. Resolvi fazer por dois motivos:
1º: o uso contínuo do twitter me inspirou a escrever sobre minhas coisas, meus pensamentos, opiniões e desejos
2º: como uma estudante de jornalismo, acho interessante começar a escrever mais, seja do que for.

Então, como o próprio nome já explica, aqui eu vou escrever sobre a minha vida. Mas não de forma explícita. Vou tentar fazer de um jeito mais poético(leia-se com atenção: TENTAR). Mas tudo bem, afinal esse é um blog pessoal, um arquivo mesmo, de coisas sobre mim. A parte que envolve o mundo é simples: tudo que eu vou escrever vai ser sobre coisas que passam na minha cabeça e essas coisas vão sendo criadas e estimuladas a partir da convivência com outras pessoas, com a percepção das coisas, com conhecimentos adquiridos, com relações pessoais, descobertas, sentimentos ..tudo "do mundo".

Enfim, espero agradar(a mim) e espero que eu consiga de alguma forma me satisfazer com esse blog. Que ele seja um espaço também de desabafo e questionamentos.
Por enquanto é só.

Bjs, sejam felizes.